Seminário no Rio Grande do Sul teve a presença de autoridades médicas como Jorge Moll

A Associação Médica do Rio Grande do Sul, popularmente conhecida como “AMRIGS”, abriu as portas em março de 2017 para receber um público ávido pelas palestras do Seminário de Gestão, que abordou a principais tendências e inovações para a área da saúde. Situado na capital gaúcha, o local recebeu diversas autoridades do segmento, além de médicos e outros interessados no assunto. Dentre os palestrantes mais aguardados estava o líder do IDOR (Instituto D’Or), Jorge Moll Neto, que atua como gestor e neurocientista da instituição.

A abertura do seminário ficou a cargo de Cláudio José Allgayer, atual presidente da FEHOSUL (Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul). Entre os principais assuntos abordados por ele, a questão do desenvolvimento de práticas sustentáveis para o segmento da saúde foi o que mais despertou o interesse da platéia. Segundo Allgayer, as futuras gerações poderão se valer dos benefícios de um planejamento melhor estruturado das ações médicas no campo da gestão, algo que pode ser alcançado com formas mais equilibradas de administração.

Para tratar dos avanços mais recentes da ciência, houve a presença de Paulo Chapchap, presidente do Sírio Libanês, um dos maiores e mais conhecidos hospitais do país. O próximo a falar foi Jorge Moll, que procurou trazer em suas explanações as inovações para a área. Dessa forma, o presidente do IDOR conseguiu estabelecer até mesmo alguns panoramas para o futuro dos estabelecimentos desse segmento, algo que transitou também pelo campo das atuações de instituições do âmbito internacional.

O líder do Sírio Libanês, por sua vez, fez questão de destacar que um costume comum em alguns países pode se tornar algo positivo para o Brasil, caso seja adotado pelas autoridades monetárias. Trata-se da destinação de uma parte do Produto Interno Bruto às ações ligadas à area da saúde. Antecedendo a palestra de Jorge Moll, Chapchap explicou que em toda a Europa, dez por cento dos dividendos alcançados no continente são automaticamente revertidos aos hospitais e demais estabelecimentos do meio médico, constituindo uma espécie de verba que garante boas condições à área.

Ao longo de sua palestra, Chapchap ainda citou um de seus escritores favoritos, William Kissick, ao mencionar a disparidade existente entre os recursos disponíveis e as grandes necessidades do setor. Além disso, o palestrante levantou o respeito que se deve ter com a sociedade. Complementando o que o colega falou, Jorge Moll destacou que os gastos, a acessibilidade e a qualidade são os três pilares para uma boa gestão em saúde, de modo a melhorar a experiência que cada usuário tem ao ser atendido.

A segunda parte do seminário foi completamente comandada pelo médico Jorge Moll. O gestor do IDOR aproveitou a ocasião para relembrar de que modo o Grupo D’Or conseguiu atingir os patamares de qualidade atuais, bem como realizou a expansão da rede. Segundo esclareceu o palestrante, expandir a empresa foi algo ocasionado pela crescente demanda por serviços de saúde. Ele ainda relembrou que no início possuía uma única clínica, tornando-se ponto de partida para o desenvolvimento do conglomerado em operação nos dias atuais.

 

Comments are disabled